Imitar voz de criança para se comunicar com bebês pode beneficiar desenvolvimento cerebral

sao-martinho-voz-crianca

Pesquisadores da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, estão realizado uma pesquisa com bebês e suas mães para entender o funcionamento e o desenvolvimento do cérebro das crianças. O estudo está sendo feito a partir do escaneamento do cérebro dos bebês e de suas mães enquanto ambos estão interagindo e fazendo novas atividades.

Entre as descobertas dessa pesquisa, estão o fato de que os bebês aprendem melhor quando suas ondas cerebrais estão em sincronia com as dos pais e quando a comunicação é realizada por uma conversa com voz de criança, calma e tranquila, ou com o uso de músicas infantis. Além disso, o estudo também revelou que os bebês precisam se sentir seguros e amados para que as conexões do cérebro se formem corretamente, levando ao aprendizado efetivo.

Quando um recém-nascido chega ao mundo, ele tem uma sobrecarga de informações, com novas imagens e sons antes desconhecidos. Com o tempo, eles vão ganhando foco e aprendem a reconhecer rostos e vozes, aprendem a engatinha, entender a linguagem dos adultos e a se comunicar com quem está ao redor. Tudo isso é fruto de conexões importantes formadas no cérebro e são essas conexões que o estudo busca entender.

Além da voz infantil, que prende a atenção do bebê com mais eficiência do que a voz normal de um adulto, os pesquisadores também descobriram que as crianças respondem melhor a interações quando é feito contato visual prolongado. As mães que cantavam músicas infantis olhando nos olhões de seus bebês conseguiam a atenção deles de forma muito melhor do que as que desviavam um pouco o olhar, ainda que ocasionalmente.

Para os pesquisadores, o mais importante no desenvolvimento do bebê é criar um ambiente de apoio, amor e atenção, onde se passe tempo de qualidade conversando e ensinando novas coisas a eles. Experiências muito estressantes ou grandes negligências na atenção dada às crianças podem comprometer o aprendizado e o desenvolvimento do cérebro.

Leave a Reply

Your email address will not be published.