III Seminário de Formação Institucional da São Martinho abordou a Diversidade

Aconteceu na última sexta-feira, 17 de novembro, o III Seminário Institucional da São Martinho, que teve como tema a “Diversidade em tempos de crise”. Para falar sobre a intolerância religiosa e o ideal de diversidade e respeito, a São Martinho convidou o professor Babalâwo Ivanir dos Santos, coordenador do Centro de Articulação das Populações Marginalizadas (CEAP) e interlocutor da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa (CCIR).

Durante sua palestra, o Babalâwo falou sobre a origem do preconceito contra a África e os negros, que começou no século XVIII, a partir da visão de filósofos e estudiosos que nunca sequer tinham ido até o continente africano. Segundo ele, “durante um bom tempo, a História do continente africano foi apenas conhecida no Ocidente europeu por meio do paradigma que Hegel, filósofo alemão humanista do século XVIII, descreveu como a inexistência do fato histórico antes da colonização europeia no continente, tendo os africanos permanecidos em estado de barbaria, selvageria e infantilidade até o ‘encontro’ com os colonizadores europeus”.

Babalâwo explica a origem do preconceito contra a África e os negros
Babalâwo explica a origem do preconceito contra a África e os negros

O Babalâwo seguiu sua palestra mostrando dados de diversas fontes sobre a violência causada por intolerância religiosa, porém, ele deixou claro que os dados são muito precários e que os números podem ser bem maiores do que os encontrados. Segundo esses dados, as religiões mais atingidas são as de origem africana, como o Candomblé e a Umbanda, e, mais recentemente, o islamismo.

Para ilustrar o que dizia, ele trouxe diversos casos recentes de violência provocada por preconceito religioso, como o da Dona Maria da Conceição, uma senhora de 65 anos candomblecista, que sofreu diversos ferimentos após ser agredida em agosto deste ano. Além disso, também foram mostrados casos de destruição de terreiros promovidos por membros do tráfico que se declaram evangélicos e, por isso, estão fazendo uma “limpeza” no Rio de Janeiro, principalmente na Baixada Fluminense e nas zonas Norte e Oeste.

Na contramão da intolerância, o Babalâwo falou sobre a Caminhada em Defesa da Liberdade Religiosa, que acontece com o apoio de vários lideres religiosos e chama as pessoas a confraternizarem e mostrarem apoio aos membros das religiões mais afetadas pelo preconceito. Em 2017, a caminhada chegou a sua 10º edição e contou com a presença estimada de 50 mil participantes.

Babalâwo Ivanir e Frei Adaílson Santos fazem o encerramento do Seminário
Babalâwo Ivanir e Frei Adaílson Santos fazem o encerramento do Seminário

Leave a Reply

Your email address will not be published.